Jovem casal promove projeto de revitalização das casas das Aldeias

A Mafalda e o Ricardo são um jovem casal que reside na aldeia de Rebelhos, freguesia da Bendada, no concelho do Sabugal.

A história deste casal começa com a Mafalda a deixar os arredores de Lisboa para viver na aldeia natal de seus pais. O Ricardo, por sua vez, estudou em Viseu, trabalhou em Figueira de castelo Rodrigo e decidiu voltar às suas origens. É um promotor do concelho do Sabugal e acredita que as nossas aldeias têm imenso potencial e que merecem ser revitalizadas.

Ricardo está ligado ao ramo imobiliário e foi se apercebendo que existe um nicho, em exponencial crescimento, que procura a qualidade de vida nas aldeias. As grandes cidades estão lotadas, as pessoas estão cansadas e denota-se uma crescente procura de pessoas a quererem comprar casa e viverem nas povoações mais pequenas.

Possivelmente, a Pandemia veio também despertar as pessoas para a mudança. No último verão intensificou-se a procura de alojamentos locais na região, tem sido um ano de lotação cheia nos Turismo rural locais. As pessoas, cada vez mais, procuram locais mais recatados, onde possam descontrair, conhecer e experienciar, em segurança e de forma mais isolada.

As aldeias sofrem com a desertificação e envelhecimento e é de elevada importância inverter esta situação.  Em Rebelhos, no último ano, ficaram-se dois novos casais o que traz uma lufada de ar fresco para a aldeia e para as pessoas que nela vivem e que muito gostariam de voltar a ver as casas com gente. E é esta a missão do projeto promovido por este casal. Casas com Raízes é o nome do projeto que promove a revitalização de casas desabitadas, reconstruindo e colocando à disposição para alojamento de quem visita a região e/ou se pretenda fixar.

O projeto conta já com três casas, uma pronta e duas em fase de finalização de reconstrução e pretende chegar a mais pessoas, estando aberta uma campanha de angariação de fundos para aquisição de uma casa na aldeia de Inguias para reconstrução e posterior alojamento.

A partir de 20 euros pode contribuir para que uma “nova casa” reapareça e atraia novas pessoas para conhecer a região ou até para se fixarem.

“Viver na aldeia é um estilo de vida saudável que está ao seu alcance. Dê o primeiro passo e contribua para esta causa que dá vida às nossas origens”, terminam Mafalda e o Ricardo.

Mais

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *