Final do torneio de snooker no bar Queda Livre

Christophe Nave sai vencedor

A Revista Aldeias Vivas acompanhou o final do torneio de snooker organizado no Bar Queda Livre em Vale Formoso onde chegou à palavra com João Figueiredo, organizador do evento.

AV: Final de mais uma organização do torneio de snooker, o objetivo foi comprido?
João Figueiredo: Foi, julgo que sim. As pessoas conviveram, souberam conviver e respeitar-se mutuamente e acho que houve um grande fair-play entre todos os jogadores que participaram.
Agora, o torneio surge com o objetivo de tentar trazer algo para Vale Formoso e Aldeia do Souto, que as pessoas participassem, que conhecessem novas pessoas e também um pouquinho mais da modalidade.

…no final, temos aquele aspeto positivo de ver as pessoas contentes…”

AV: Independentemente da estrategia comercial do bar, quis fazer uma certa confraternização?
João Figueiredo: Precisamente! Foi mais nesse sentido do que para a comercialização do bar. Eu prefiro ver as pessoas todas contentes independentemente de algum interesse monetário da minha parte, pois, embora não seja relevante mencionar, feitas as contas, no final do torneiro, acabo por não ter qualquer margem de lucro relativamente a isto, pois foi tudo para prémios, taças, lanche, e logística em geral.

Mas, no final, temos aquele aspeto positivo de ver as pessoas contentes, gostarem de ter participado, e então termos a possibilidade de relaxar todos juntos e, talvez, num futuro próximo, desenvolver novos torneios seja desta modalidade ou de outra qualquer.

AV: Portanto, outras iniciativas virão?
João Figueiredo: Sim, naturalmente! Eu creio que todas as pessoas, desde que estejam dispostas, eu estarei mais disposto ainda que elas, seja em criar e dinamizar seja o que for.

AV: Qual foi a receptividade dos participantes?
João Figueiredo: Sim houve boa recetividade. Conseguimos no total 21 incrições, o que, para primeiro torneio, penso que não seja mau.

AV: Portanto, isto é motivador e abre apetite por novas ideias?
João Figueiredo: É motivador para o próximo, precisamente.

Desta final, saiu vencedor Christophe Nave

AV: Christophe, foste o vencedor do torneio, qual é a sensação?
Christophe Nave: É uma sensação boa. Ganhar foi bom.

AV: Esta experiencia do snooker, já adquiriste há muito tempo?
Christophe Nave: Já desde pequeno que jogo, desde os meus 15 anos. Tenho inclusive participado noutros torneios, não só aqui entre portas como também em outras localidades.

AV: Como nasceu este gosto pelo snooker?
Christophe Nave: Na altura, aqui no café, não havia muitos jogos para jogar, então era-mos um pouco viciados no snooker. O snooker, no fundo, além de um desporto, tb ajuda a passar o tempo e as noites de inverno?

“Às vezes meter sete bolas e ter a preta não quer dizer nada…”

AV: Há algum segredo para se jogar bem?
Christophe Nave: Não, o que conta é meter a bola preta. Às vezes meter sete bolas e ter a preta não quer dizer nada, tal como, um ter sete bolas e o outro a bola preta. Qualquer um pode acabar.

AV: Mas há alguma estratégia específica?
Christophe Nave: a melhor estratégia é não deixar a bola branca boa para o adversário.

AV: Ou seja. Não é só propriamente meter mas tb preparar jogo!
Christophe Nave: Sim, preparar e proteger a bola branca! Por vezes nem convem meter uma bola se tens as outras duas numa situação menos vantajosa. Ainda agora aconteceu, neste jogo, eu ter seis bolas e o meu adversário estar à preta. O jogo é assim! A bola preta é que conta.

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *