A nossa aldeia está bem situada

José Manuel Ramos com 71 anos, natural de Aldeia do Souto, atualmente a residir em Lisboa, fala-nos da sua aldeia e das memórias que dela guarda

Como era a vida antigamente na aldeia comparada com a de hoje?
Há uma enorme diferença, antigamente havia muita gente a passar fome, era preciso trabalhar-se muito para se conseguir comprar comida.

O que o marcou mais nos seus tempos de antigamente?
O que mais me marcou muito foi a falta de liberdade que havia com as crianças, se fizéssemos algo que os nossos pais não gostassem já sabíamos que daí vinham consequências, hoje é totalmente diferente, as crianças têm mais liberdade do que tinham os adultos naquele tempo. A liberdade na altura era irmos trabalhar.

Como era o trabalho no campo?
Antigamente o trabalho no campo passava por ceifar, arrancar batatas, descanar o milho, entre outros, era exaustivo ia desde o nascer do sol até à noite, ganhava-se muito pouco.

Fale-nos da sua juventude
A minha juventude foi passada em França, Lisboa e alguns tempos aqui na aldeia. A primeira vez que fui de comboio para França fui preso por ser menor de idade. Atualmente permaneço em Lisboa, mas venho cá muitas vezes.

Como era a aldeia antigamente e nos dias de hoje?
Existem algumas diferenças, nomeadamente na população que existe na aldeia, as tradições estão a perder-se porque não há juventude na aldeia e é por aí que as coisas acabam.

Visto que nem sempre cá esta, quando vem cá nota diferenças?
Não vejo grandes diferenças sinceramente, não há pessoas para que possam desenvolver as aldeias e é pena que deixem morrer as tradições. A paisagem agrícola/rural está muito modificada, outrora os campos estavam todos cultivados o que atualmente não se verifica.

Como acha que serão as aldeias daqui a uns anos?
Acredito que haja algumas aldeias que vão ser recuperadas, agora aquelas que não tem tão bom acesso tem tendência a desaparecer. A nossa aldeia está bem situada, está perto da vila de Belmonte e da cidade da Covilhã, onde existem diversos serviços. Eu se trabalhasse na Covilhã, vinha morar para aqui pois preferia viver aqui do que na cidade.

Há qualidade de vida nas aldeias?
Sim, claro que há, o problema mesmo é a falta de pessoas que não se fixam na aldeia por causa da falta de oportunidades de trabalho.

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *