A nossa aldeia cada vez está mais envelhecida

Isabel Duarte, 43 anos, natural de Vale Formoso, atualmente a residir em Orjais contou-nos as suas recordações sobre a aldeia de onde é natural.

“(…) para mim a minha terra é e será sempre Vale Formoso.”

Como descreve a aldeia e quais as recordações que guarda?
Eu vivi na linda aldeia de Vale Formoso até aos meus 19 anos, depois casei e vim viver para Orjais, já cá moro há 23 anos, mas para mim a minha terra é e será sempre Vale Formoso.

Descrevo a aldeia como uma aldeia muito bonita, tem um miradouro lindo e com uma vista espetacular.

“(…) vinham muitos emigrantes na altura da festa, era uma alegria para todos.”

As recordações que guardo é de quando eramos felizes com coisas tão simples, tais como, ir a pé para a escola, voltávamos a casa para almoçar e depois íamos para a escola novamente. Havia muita malta jovem, brincávamos na rua.  Existiam dois cafés o do Sr. Quim e da Dona Rosalina era o nosso entretém. Estávamos sempre à espera do mês de Agosto para termos a Festa da Nossa Senhora da Saúde para podermos ir à procissão e depois ao bailarico, vinham muitos emigrantes na altura da festa, era uma alegria para todos.

Costumo ir lá todos os fins de semana agora com a situação atual não vou tanto quanto gostaria.

Qual será o futuro da aldeia?
A nossa aldeia cada vez está mais envelhecida, há ruas quase desertas, casas fechadas. Hoje na nossa aldeia é criticado quem faz e quem não faz. Não vejo nenhum futuro infelizmente.

O que faz falta nesta e noutras aldeias para combater o despovoamento e aumentar a população e fixar os jovens residentes?
O que faz falta é haver postos de trabalho, pois cada vez mais existe desemprego e os jovens tem de ir para outras freguesias.

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *